Placar contra o River em mata-matas é favorável ao Cruzeiro

O Cruzeiro enfrentará o River Plate pela sétima vez em duelos eliminatórios. Nesta terça-feira, às 19h15, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, as equipes fazem o jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. A partida de volta acontecerá daqui uma semana, no mesmo horário, no Mineirão. O ganhador pegará nas quartas o vencedor de Cerro Porteño x San Lorenzo.

Ainda que não influencie no embate de 2019, o placar em mata-matas é favorável ao clube celeste, que ganhou os confrontos por Libertadores de 1976, Supercopa de 1991, Supercopa de 1992, Copa Mercosul de 1998 e Recopa Sul-Americana de 1998. Já o River avançou somente na Libertadores de 2015. No cômputo geral, são 14 jogos, com dez vitórias cruzeirenses e quatro argentinas.

Copa Libertadores 1976 (Cruzeiro)

<i>(Foto: Arquivo/Estado de Minas)</i>
A decisão da Libertadores de 1976 aconteceu na série “melhor de três”. No primeiro jogo, vitória azul por 4 a 1, no Mineirão. No segundo, os argentinos ganharam por 2 a 1, no Monumental de Núñez, e forçaram o “desempate” em campo neutro. No Estádio Nacional de Santiago, no Chile, o Cruzeiro bateu o River por 3 a 2 e celebrou a primeira conquista internacional de sua história.

Supercopa 1991 (Cruzeiro)

<i>(Foto: Paulo de Deus/Estado de Minas)</i>
Derrotado no jogo de ida da Supercopa Libertadores de 1991 por 2 a 0, em Buenos Aires, o Cruzeiro conseguiu uma das maiores viradas de sua história ao golear o River por 3 a 0, no Mineirão. Os gols foram marcados por Ademir e Mário Tilico (2). Na noite de 20 de novembro, o estádio recebeu público de 67.279 pagantes.
<i>(Foto: Paulo de Deus/Estado de Minas)</i>
Cruzeiro e River se reencontraram pela Supercopa Libertadores de 1992, dessa vez pelas quartas de final. No jogo de ida, triunfo celeste por 2 a 0, no Mineirão. Na volta, a arbitragem ficou marcada por expulsar o zagueiro Luizinho e o meia Boiadeiro, além de marcar dois pênaltis polêmicos para o River, que venceu por 2 a 0. Nos tiros de 11 metros, o erro do experiente Ramón Díaz na última cobrança foi determinante para o revés argentino por 5 a 4. O Cruzeiro, por sua vez, passou pelo Olimpia na semifinal e venceu o Racing na decisão.

Copa Mercosul 1998 (Cruzeiro)

<i>(Foto: Arquivo/Estado de Minas)</i>
Nas quartas de final da Copa Mercosul de 1998, o Cruzeiro venceu o River Plate tanto em Buenos Aires, por 2 a 1, quanto no Mineirão, por 2 a 0. O então armador Marcelo Gallardo, hoje técnico do clube argentino, marcou o gol de honra no jogo de ida. Do lado da Raposa, quem estava em campo era o atual diretor de futebol Marcelo Djian, à época companheiro de Wilson Gottardo na zaga. Sob o comando do técnico Levir Culpi, o time celeste chegou à decisão e foi superado pelo Palmeiras.

Recopa Sul-Americana 1998 (Cruzeiro)

<i>(Foto: Arquivo/Estado de Minas)</i>
Por falta de datas, a final da Recopa Sul-Americana de 1998 só foi disputada em 1999 e equivalia também à primeira fase da Copa Mercosul. Em 3 de agosto, Müller e Geovanni marcaram na vitória do Cruzeiro por 2 a 0, no Mineirão. No dia 23 de setembro, o resultado foi ainda mais tranquilo: 3 a 0, no Monumental de Núñez, gols de Geovanni, Marcelo Ramos e Gustavo.

Copa Libertadores 2015 (River Plate)

<i>(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)</i>
Nas quartas de final da Copa Libertadores de 2015, a vitória do Cruzeiro por 1 a 0, na Argentina, parecia ser o indício de uma arrancada rumo ao título. Só que no segundo jogo, no Mineirão, o River dominou as ações do começo ao fim e venceu por 3 a 0. A eliminação vexatória em casa e a má campanha no Campeonato Brasileiro ocasionaram a demissão do técnico Marcelo Oliveira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: