América campeão Potiguar

O  conheceu nesta noite o seu campeão. É o América, que volta a ganhar um título após três anos. A conquista deste ano foi conquistada sobre o seu principal rival, o ABC. De quebra, evitou o tetracampeonato dos adversários.

Em um jogo dramático, o Dragão levou sua torcida a loucura assinalando no último lance. O gol que sacramentou a conquista foi marcado por Alison aos 49 minutos do segundo tempo.

Maior campeão estadual do Brasil, com 55 títulos, o ABC se viu obrigado a ver o rival América levar o caneco pela 34.ª vez.

Jogadores e comissão técnica do América comemoram o título - Divulgação - América de Natal - Twitter

Jogadores e comissão técnica do América comemoram o título

COBERTURA COMPLETA

O Portal FUTEBOL INTERIOR acompanha todos os Campeonatos Estaduais do Brasil online pelo PLACAR AO VIVO e também depois com comentários e destaques da rodada.

Baixe também o Aplicativo – App Placar FI – tanto pelo Google Play como APP Store.

VEJA TODOS OS DETALHES DOS ESTADUAIS!

REAÇÃO ESPETACULAR

Gerente de futebol Almir Dioniso foi peça estratégica fundamental na reação americana - Reprodução

Gerente de futebol Almir Dioniso foi peça estratégica fundamental na reação americana

O título coroa o belo trabalho do técnico Moacir Júnior a frente do Dragão. Ao lado do gerente de futebol Almir Dionisio, o futebol americano evoluiu.

Mesmo perdendo o primeiro turno para os Abcedistas, o time deu show no returno. Com méritos e melhoria contínua a cada partida, o futebol agradou a imprensa e torcida.

Com isso, as esperanças para a Série D ficam renovadas.

COMEÇOU QUENTE

Após empatar o jogo em casa por 0 a 0, o ABC começou partindo para cima. Até os dez minutos, o Elefante controlou as ações. Logo no primeiro minuto, após cobrança de escanteio.

Henrique quase abriu o placar para o Alvinegro. Por volta dos 15 minutos, as ações se equilibraram. Dali, até o final, o Dragão foi crescendo e mandou nas ações pelo resto da primeira etapa.

Comandados por Jean Patrick, os Alvirrubros partiram para cima. Na primeira chance perigosa, ele chutou fraco e desperdiçou. Aos 16, Adriano Alves cabeceou perto da trave. No minuto seguinte, Adenílson arriscou e chutou perto. O ABC ainda arriscou uma reação aos 32 em contra-ataque, mas Ivan chutou longe.

PRESSÃO E GOL
Com o controle do jogo, o Vermelhão partiu para o abafa no fim da primeira etapa. A pressão deu resultado e o placar foi aberto. Após recuperação de Adriano Pardal, aos 45, Hiltinho foi lançado.

Depois de errar o domínio, ele se recuperou rolou para Jean Patrick. Melhor jogador em campo, ele fuzilou as redes e deixou o Mecão com uma mão na taça.

América vence o ABC por 2 a 1 no fim e é campeão Potiguar - Canindé Pereira/América de Natal

América vence o ABC por 2 a 1 no fim e é campeão Potiguar

QUEM NÃO FAZ…

Mais consciente, o Mecão voltou do intervalo como desceu. Animando os 21 mil pagantes, o Colorado não deixava de pressionar. Ainda no início, Hiltinho desperdiçou a oportunidade de ampliar. A resposta veio por Rodrigo Rodrigues, que cabeceou com perigo por cima da meta americana. Na sequência, Anderson e Henrique obrigaram boas defesas do arqueiro alvirrubro.

A reação, porém, parecia ter parado por ali. Muito superior em campo, o Mecão continuou criando chances de matar a final. Com pouca competência, porém, duas máximas famosas apareceram na Arena: ‘quem não faz, leva’ e ‘se os atacantes não resolvem, os zagueiros aparecem’.

Após um contra-ataque esporádico do Elefante da Frasqueira, o time conseguiu um escanteio. Na cobrança, Bóris Sagredo encontrou Wanderson na área.

Sem querer, o meia acabou cabeceando para trás e dando uma assistência para Maurício.

Meio com as pernas e meio de canela, o zagueiro empurrou para o fundo das redes. O empate, selado, levava a decisão para os pênaltis.

Após o gol, o jogo se encaminhou para um clima de marasmo. Nas melhores oportunidades, o ABC cobrou duas faltas perigosas, mas sem assustar. Na primeira, Bóris Sagredo cruzou e Adriano Pardal cortou. Na segunda, a bola ainda chegou a ser desviada, mas Ewerton defendeu. Com o 1 a 1 selado e muita chuva, o jogo se encaminhava para os pênaltis. Até os 49.

PARA LAVAR A ALMA

Sob o comando de Moacir Júnior, América encontrou o seu melhor futebol e chegou ao título potiguar - Canindé Pereira/América-RN/Divulgação

Sob o comando de Moacir Júnior, América encontrou o seu melhor futebol e chegou ao título potiguar

De baixo de muita chuva, o jogo seguia acréscimos adentro. No último lance do jogo, porém, veio o tiro de misericórdia americano.

E, como é preciso ser, num cenário com muita emoção. Após cobrança de escanteio, Alison apareceu na primeira trave para dar o tiro de misericórdia. Sem chances de reação para o rival aos 49 minutos.

PRO ABRAÇO
Dali, foi só correr para o abraço, quebrar o tetra rival e trazer a taça de volta após três anos.

Coroando, ao final, a eficiente parceria e planejamento criados entre diretoria e treinador durante o estadual. Que venha, agora, a Série D.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: