Mano define Estadual: ‘Meio bônus para quem ganha e tempestade para quem perde’

O Campeonato Mineiro chega ao fim neste sábado. Às 16h30, no Independência, o Cruzeiro visita o Atlético e precisa de um empate para conquistar o bicampeonato. Apesar da menor relevância dos estaduais pelo país, a disputa da taça contra o rival pode mudar o rumo dos clubes na sequência da temporada. Por isso, o foco da equipe celeste está totalmente voltado para o duelo contra o time alvinegro.

  • realizam atos de apoio ao time antes de decisão do Mineiro
  • Mano confirma presença de Thiago Neves e veta Raniel no Cruzeiro para final contra o Atlético

O técnico Mano Menezes já vivenciou os dois lados em Minas Gerais. Em 2017, ele perdeu a decisão para o Atlético. No ano passado, a equipe celeste deu o troco e ficou com a taça. O treinador vê uma ‘característica cruel’ no Estadual: ele passa a valer muito mais para o vice do que para o campeão.

“Desde que iniciou o campeonato, não partiu nenhuma frase do Cruzeiro desmerecendo o Campeonato Mineiro. E eu disse que nós iríamos lutar pelo bicampeonato sim. Então, nós chegamos à final e cumprimos a parte da obrigação do clube grande dentro do Estadual. Agora, nos cabe o direito de lutar por esse bicampeonato. Nós sempre pensamos assim e não podemos mudar uma vírgula do discurso. Embora a gente entenda que os estaduais hoje têm uma característica quase cruel: um meio bônus para quem ganha e uma tempestade para quem perde”, destacou Mano Menezes.
Com apoio de sua torcida, o Cruzeiro venceu o primeiro clássico da final, no Mineirão, por 2 a 1. Agora, joga por empate no Independência. Decidir um troféu como visitante não é novidade para a equipe celeste sob o comando de Mano Menezes. No ano passado, a Raposa conquistou a Copa do Brasil com vitória sobre o Corinthians no Itaquerão. O treinador vê o time pronto para jogar em qualquer lugar.
“O Cruzeiro está calejado para jogar em qualquer lugar. Vem mostrando isso nesses quase três anos que estou aqui na frente. Já conquistamos títulos fora, com esse grupo. Essa é uma oportunidade de você mostrar mais uma vez a capacidade que esse grupo tem. Acreditamos muito na gente e é isso que vamos fazer”, concluiu.
Com apoio de sua torcida, o Cruzeiro venceu o primeiro clássico da final, no Mineirão, por 2 a 1. Agora, joga por empate no Independência. Decidir um troféu como visitante não é novidade para a equipe celeste sob o comando de Mano Menezes. No ano passado, a Raposa conquistou a Copa do Brasil com vitória sobre o Corinthians no Itaquerão. O treinador vê o time pronto para jogar em qualquer lugar.
“O Cruzeiro está calejado para jogar em qualquer lugar. Vem mostrando isso nesses quase três anos que estou aqui na frente. Já conquistamos títulos fora, com esse grupo. Essa é uma oportunidade de você mostrar mais uma vez a capacidade que esse grupo tem. Acreditamos muito na gente e é isso que vamos fazer”, concluiu.

Nesta sexta, véspera da decisão, o treinador celeste abriu parte da atividade para imprensa e torcida. Os cruzeirenses fizeram muita festa na Toca da Raposa II e, com atos de apoio, empurraram os atletas para a conquista do bicampeonato mineiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: