Guia da Série C: edição tem técnico mais longevo do Brasil, “intrusos” no Grupo A e clubes tradicionais

A bola rola para a 32ª edição da Série C do Campeonato Brasileiro a partir deste sábado. A competição conta com 20 times – divididos em grupos regionalizados – e garante quatro vagas na Série B, além de rebaixar outras quatro equipes (veja regulamento detalhado no fim). Na disputa, estão clubes tradicionais como Santa Cruz, Figueirense e Paraná.

Com o aumento de participantes do Sudeste e do Sul, a CBF teve que mudar a formatação dos grupos da primeira fase. Tombense, de Minas Gerais, e Volta Redonda, do Rio de Janeiro, que integravam o Grupo B desde 2017, enfrentam agora os times do Norte e Nordeste no Grupo A.

Grupos da Série C de 2021 — Foto: Arte/ge

Grupos da Série C de 2021 — Foto: Arte/ge

Em 2019, o Nordeste chegou a ter dez representantes na competição. Só que os acessos de Náutico, Sampaio Corrêa e Confiança reduziram a presença da região. No ano passado, Remo, Paysandu, Manaus e Vila Nova proporcionaram as participações do Norte e do Centro-Oeste, mas Remo e Vila Nova conseguiram o retorno à Série B.

Grupo A

 

Altos: Recém-promovido da Série D, o Altos conquistou o terceiro título piauiense neste ano, ao bater o Fluminense-PI na decisão. A equipe conta com o atacante Betinho, de 34 anos, campeão da Copa do Brasil de 2012 pelo Palmeiras.

Altos, campeão piauiense de 2021  — Foto: Emanuele Madeira

Altos, campeão piauiense de 2021 — Foto: Emanuele Madeira

Botafogo-PB: Desde 2014 na Série C, o Botafogo está na semifinal do Campeonato Paraibano e aguarda o vencedor da partida entre Campinense e Atlético de Cajazeiras para conhecer o adversário.

Ferroviário: Com uma derrota em 14 jogos disputados, o Ferroviário chegou à semifinal do Campeonato Cearense com a melhor campanha da competição, ao lado do Fortaleza. Porém, a equipe do técnico Francisco Diá acabou sendo eliminada pelo Ceará.

Floresta-CE: Após um ano passado de altos e baixos, o Floresta ainda não estreou nesta temporada. Rebaixado para a Série B do Cearense, o Verdão da Vila foi vice-campeão da Série D e participa da Terceira Divisão pela primeira vez.

Jacuipense: Com duas derrotas em nove jogos, o Jacuipense não chegou longe no Campeonato Baiano e se prepara para a Série C há quase um mês. A principal aposta do Leão Grená é o centroavante Dinei, de 37 anos, que tem passagens por Athletico, Palmeiras e Vitória.

Manaus: Mesmo com o quarto título amazonense em cinco anos, o Manaus inicia a Série C com uma troca no comando. Após o técnico Luizinho Lopes solicitar desligamento, o Gavião do Norte anunciou Marcelo Martelotte como substituto.

Campeão amazonense, o Manaus apresentou o técnico Marcelo Martelotte — Foto: João Normando/FAF

Campeão amazonense, o Manaus apresentou o técnico Marcelo Martelotte — Foto: João Normando/FAF

Paysandu: Quem também trocou de comando técnico foi o Paysandu, campeão paraense pela 49ª vez. Depois da derrota no jogo de ida da final estadual diante da Tuna Luso, o Papão demitiu Itamar Schulle e acertou com Vinícius Eutrópio. Quem esteve à frente da equipe na goleada da partida de volta foi o auxiliar Wilton Bezerra.

Santa Cruz: A pior campanha da Copa do Nordeste e a eliminação na semifinal do Campeonato Pernambucano aumentaram a pressão no Santa Cruz, que resolveu fazer uma intertemporada de preparação para a Série C. O time é comandado por Bolívar, que treinou o Vila Nova em 2020.

Tombense: Semifinalista do Campeonato Mineiro, o Tombense teve dois atacantes entre os artilheiros da competição: Keké e Daniel Amorim, com seis e cinco gols respectivamente.

Volta Redonda: Único representante do Rio de Janeiro, o Volta Redonda chegou a ficar dez jogos sem perder entre o fim da Série C do ano passado e o início do Campeonato Carioca. O bom início no Estadual fez com que o Voltaço alcançasse a semifinal, sendo eliminado pelo Flamengo. Artilheiro do torneio com nove gols, Alef Manga acabou sendo contratado pelo Goiás.

Grupo B

 

Botafogo-SP: Um dos rebaixados da Série B, o Botafogo de Ribeirão Preto conta com dois experientes atacantes no elenco: Rafael Marques, ex-Palmeiras, e Walter, que vestiu a camisa do Athletico no ano passado.

Ituano: Após passar perto do acesso à Série B na temporada passada, o Ituano alcançou a semifinal do Troféu do Interior deste ano, sendo superado pelo Novorizontino.

Mirassol: Campeão da Série D de 2020, o Mirassol volta à Série C depois de 13 anos. O Leão é comandado pelo técnico Eduardo Baptista, ex-Fluminense e Palmeiras.

Mirassol, campeão da Série D do Campeonato Brasileiro — Foto: Célio Messias/CBF

Mirassol, campeão da Série D do Campeonato Brasileiro — Foto: Célio Messias/CBF

Novorizontino: Também promovido da Série D, o Novorizontino é outro estreante na Terceirona. O clube foi fundado há 11 anos e começou a temporada fazendo mais história ao levantar o título do interior de São Paulo, batendo a Ponte Preta na decisão.

Novorizontino, campeão do Troféu do Interior 2021 — Foto: Wiliam Lima/Paulistão

Novorizontino, campeão do Troféu do Interior 2021 — Foto: Wiliam Lima/Paulistão

Oeste: Após oito anos seguidos disputando a Série B, o Oeste retorna à Série C com um gostinho amargo. Por pouco, o Rubrão não conseguiu o acesso à Série A1 do Paulistão. Depois de dois empates por 1 a 1 com o São Bernardo, o adversário levou a melhor nos pênaltis.

Paraná: Rebaixado à Série C pela primeira vez, o Paraná Clube tem uma missão árdua no Campeonato Paranaense. No primeiro jogo das quartas de final, o Tricolor perdeu em casa para o Athletico por 2 a 0, e terá que reverter o placar na Arena da Baixada. Por conta das medidas de combate à Covid-19 no estado, o jogo ainda não teve data definida.

São José-RS: Sexto colocado do Campeonato Gaúcho, o Zeca está invicto há cinco jogos na temporada. Em busca de um acesso inédito à Série B, o clube tem um elenco com baixa média de idade.

Ypiranga de Erechim: O Ypiranga de Erechim terminou o Campeonato Gaúcho na quinta posição, logo acima do São José. Na Série C de 2020, o Canarinho até chegou vivo na última rodada do quadrangular do acesso, mas não conseguiu ultrapassar o Londrina.

Recordistas

 

Novidade no Grupo A, o Tombense vai para a sétima edição seguida de Série C. Porém, a maior sequência em vigência é a do Botafogo-PB, que disputa a competição desde 2014. O Belo também é o segundo clube com mais participações na Terceirona (18), só atrás do Confiança (20).

Clubes com mais participações na Série C
Botafogo-PB, Ferroviário e Volta Redonda disputam a edição deste ano
Participações202018181616161615151515141414141414ConfiançaBotafogo-PBCaxiasTupiFerroviárioTrezeBrasil de PelotasFortalezaVolta Redonda0510152025
Fonte: ge.globo

Campeões

 

Quatro participantes da atual edição já venceram a Série C: Criciúma (2006), Ituano (2003), Oeste (2012) e Santa Cruz (2013). Atual campeão, o Vila Nova é o clube com mais troféus da divisão (também ganhou em 1996 e 2015).

Desde 2009, com a criação da Série D, quatro equipes sobem para a Série B e outras quatro descem para a Série D. Durante este período, três edições não tiveram clubes que subiram após caírem da Segundona: 2009, 2013 e 2018.

Série C entre 2009 e 2020

Clubes que desceram da Série B no ano anterior Clubes que subiram para a Série B Clubes que desceram para a Série D
2009 CRB, Criciúma, Gama, Marília América-MG*, ASA, Guaratinguetá, Icasa Sampaio Corrêa, Mixto, Confiança, Marcílio Dias
2010 ABC, Campinense, Fortaleza, Juventude ABC*, Criciúma, Boa Esporte, Salgueiro Alecrim-RN, Juventude, Gama, São Raimundo-PA
2011 América-RN, Brasiliense, Ipatinga-MG, Santo André Joinville*, América-RN, CRB, Ipatinga-MG Araguaína-TO, Brasil de Pelotas, Campinense, Marília
2012 Duque de Caxias-RJ, Icasa, Salgueiro, Vila Nova Oeste*, Chapecoense, Icasa, Paysandu Guarany de Sobral-CE, Tupi-MG, Salgueiro, Santo André
2013 CRB, Grêmio Barueri, Guarani, Ipatinga-MG Santa Cruz*, Luverdense, Sampaio Corrêa, Vila Nova Brasiliense, Betim-MG, Grêmio Barueri, Baraúnas-RN, Rio Branco-AC
2014 ASA, Guaratinguetá, Paysandu, São Caetano Macaé*, CRB, Mogi Mirim, Paysandu São Caetano, Treze, CRAC-GO, Duque de Caxias-RJ
2015 América-RN, Icasa, Portuguesa, Vila Nova Vila Nova*, Brasil de Pelotas, Londrina, Tupi Águia de Marabá-PA, Madureira, Caxias, Icasa
2016 ABC, Boa Esporte, Macaé, Mogi Mirim Boa Esporte*, ABC, Guarani, Juventude América-RN, Portuguesa, River-PI, Guaratinguetá
2017 Bragantino, Joinville, Sampaio Corrêa, Tupi CSA*, Fortaleza, Sampaio Corrêa, São Bento Moto Club, Macaé, Mogi Mirim, ASA
2018 ABC, Luverdense, Náutico, Santa Cruz Operário*, Botafogo-SP, Bragantino, Cuiabá Tupi, Juazeirense, Salgueiro, Joinville
2019 Boa Esporte, Juventude, Paysandu, Sampaio Corrêa Náutico*, Confiança, Juventude, Sampaio Corrêa Atlético-AC, Luverdense, ABC, Globo-RN
2020 Londrina, São Bento, Criciúma, Vila Nova Vila Nova*, Brusque, Londrina, Remo Treze, São Bento, Boa Esporte, Imperatriz-MA

Longevidade

 

Após o desligamento de Renato Gaúcho no Grêmio, técnico com trabalho mais longevo no futebol brasileiro (dentre os que ocupam as divisões nacionais) é Vinícius Bergantin, que assumiu o Ituano em junho de 2017. Ex-zagueiro, ele atuou durante oito anos no Hannover, da Alemanha, e começou a carreira como técnico na base do time paulista. Na Série C do ano passado, o Ituano ficou a uma vitória do acesso.

Vinicius Bergantin, técnico do Ituano — Foto: Miguel Schincariol/Ituano FC

Vinicius Bergantin, técnico do Ituano — Foto: Miguel Schincariol/Ituano FC

Figueirense: No ano do centenário, o Figueirense volta a disputar a Série C. A última participação do clube alvinegro na competição havia sido em 1999. No Campeonato Catarinense, o Figueira foi eliminado nas quartas de final pela Chapecoense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: