Galo tem sopro de reação, vira sobre o CSA, mas toma empate no fim

O Atlético vive uma fase em que, mesmo quando consegue reagir, não segura a vantagem. O empate em 2 a 2 com o CSA, nesta quarta-feira (16), no estádio Rei Pelé, em Alagoas, foi o fiel reflexo da instabilidade de uma equipe que acabou de trocar de treinador e já se coloca perigosamente perto da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Depois de um apático primeiro tempo, o Galo conseguiu a virada no segundo tempo, mas, em mais um pênalti cometido, tomou o empate no fim da partida.

O efeito Vagner Mancini, treinador tampão contratado após a demissão de Rodrigo Santana, ainda não surtiu efeito. O alvinegro segue desperdiçando pontos e completou a quinta partida sem vitória. Nos últimos 12 jogos, foram nove derrotas, dois empates e apenas um triunfo, um total de cinco pontos em 36 possíveis.

Sem Nathan, suspenso, que vinha fazendo a função de primeiro volante, Mancini adiantou Réver, que se apresentou muitas vezes como um armador. Na prática, pouco se viu de evolução. Criatividade limitada e erros individuais se repetiram. E foi justamente na saída de bola errada de Fábio Santos que Alecsandro, campeão da Libertadores de 2013, abriu o marcador aos 33 minutos.

No segundo tempo, Maicon Bolt e, depois, Ricardo Oliveira, foram as mudanças de Mancini. O CSA manteve as iniciativas, com o Galo, vez ou outra, tentando alguma coisa. Na base da insistência, Réver, em chute de longe, deixou tudo igual aos 23 minutos. O alvinegro cresceu e esteve próximo da virada, com o chute de Vinícius, que beijou a trave de João Carlos, aos 33.

Pouco depois, Vinícius deixou o braço no adversário e foi expulso. Na raça, Luan, virou o jogo após passe de Fábio Santos, aos 39.
Dois minutos depois, a afobação tomou conta novamente. Guga cometeu pênalti em Jonatan Gomez, que deixou tudo igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: