No Tempo da Bola

A vitória do Saga Esporte sobre o Atlético de Guaraciama, por 4 a 2, neste domingo (6), foi inquestionável. Venceu porque soube controlar o jogo, mesmo quando esteve em desvantagem no placar. Indiscutivelmente o Saga foi melhor durante os 90. A equipe atleticana teve bons momentos, nos quinze minutos do segundo tempo, período em que fez 2 a 1. O lamentável de tudo nesta partida, e, inclusive, eu descreve na minha coluna “Toque de Bola”, no site da Rádio Clube 91,5 FM, foi a suposta agressão ao árbitro José João Teixeira ou ao auxiliar Fernando dos reis por um atleta do Atlético, que, estaria no banco de reservas. A confusão se armou e a súmula certamente relatará todo o ocorrido. E, também seguramente a Junta Desportiva da LDB fará o julgamento dos fatos relatados. Assim inconteste a vitória e, conseqüente, classificação do Saga Esporte para as semifinais do campeonato amador de Bocaiuva. Não se deve questionar a arbitragem do jogo. O árbitro José João Teixeira e sua equipe de auxiliares estiveram bem. O questionável é essa suposta agressão ao árbitro ou ao auxiliar. E, mais que isso, incompreensível. Em hipótese alguma, a violência é aprovada, ainda, mais numa partida de futebol, que tem o princípio de levar a diversão, mesmo que dentro do campo da competição. Alguns podem sair em defesa de uma atitude desleal, como é configurada uma agressão em um jogo de futebol, sob o argumento de que o atleta estaria com o “sangue quente” e que, na sã consciência não faria isso. Mas, convenhamos, é preciso ter equilíbrio em tudo na vida pra não se cometer algo errado. Quanto ao lance questionado pelos alvinegros, uma falta não marcada sobre o seu atleta e, que, no seguimento da jogada, originou o terceiro gol do Saga. Na minha visão, tive a exata percepção de que o jogador atleticano adiantou a bola e, sentindo que não a alcançaria, se atirou, causando o conseqüente choque com os adversários. Nem todo contato é passível de marcação de falta. Respeito quem pensa diferente, mas, na minha modesta opinião, essa foi a minha interpretação sobre esse lance. Mesmo que se configurasse um erro, o que acredito não ser o caso desta jogada, ainda, assim, nunca se deve agredir uma pessoa. Sempre elogiei os atletas e a direção do Atlético de Guaraciama pela raça e vontade de vencer que muitas vezes não se vê em clubes profissionais. No entanto, neste último domingo, foi lamentável o ocorrido. Saber aceita o resultado de um jogo, em quaisquer circunstâncias, é um atitude louvável e, acima de tudo, de um espírito esportivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: