A cara de pau da CBF com seu calendário para 2020

Já se passaram alguns dias da divulgação do calendário do futebol brasileiro para o ano que vem (foi na semana passada, mais precisamente na quinta, dia 3). Assim como já passou tempo suficiente para os principais interessados, os clubes, se pronunciarem – fato que não ocorreu. O que aconteceu até o momento foi uma verdadeira vergonha. O anúncio foi constrangedor. Dizer que agora não terão jogos em Datas Fifa é tentar vender uma mentira. E repito: é melhor questionar agora do que lamentar depois.

Vamos aos fatos: para começar, teremos mais uma Copa América ano que vem. E não, o Campeonato Brasileiro não vai parar. Contando as datas básicas, serão nove rodadas em que a desvalorizada competição continental vai “rivalizar” com o torneio nacional. Se contarmos o período de preparação, torcedor, pode somar mais alguns jogos do seu clube sem seus principais jogadores.

Não sou médico nem fisiologista, mas nem precisaria ser para saber que fica muito difícil um atleta atuar, digamos, em Cingapura, em um dia e, no outro, jogar, por exemplo, em Belo Horizonte. Eu sei, mas a CBF parece não saber. É o que ela propõe ao programar jogos de competições nacionais um dia depois da Data Fifa. É inacreditável. Como a entidade diz, não vai ter jogo em Data Fifa, mas um dia depois não precisa ter, né? Óbvio para qualquer um e contra qualquer bom senso – este diz que o intervalo entre os jogos deve ser de, ao menos, 66 horas. Com 72 horas, a recuperação é a ideal.

Além da Copa América, serão cinco Datas Fifa em 2020, sendo duas no primeiro semestre e três no segundo. Em março, por exemplo, os jogos da Data Fifa serão nos dias 26 e 31 – e não é que teremos uma rodada de estaduais no dia 1º de abril? Ok, são os estaduais, menos mal, você pode pensar. Mas avalie a Data Fifa de setembro. Tem jogo no dia 8. E a final da Copa do Brasil é…. no dia 10. Absurdo. E ainda estão programadas, nesse mesmo esquema, sem prazo para recuperação e sem falar no período pré-jogo das seleções, Datas Fifas nos meses de outubro e novembro, que, claro, coincidem com a reta final do Brasileirão e da Libertadores.

A cara de pau é enorme. E vale lembrar que em 2020 tem Pré-Olímpico e Olimpíadas, torneios que também vão tirar alguns jogadores importantes dos clubes do país, que hoje contam com vários estrangeiros em seus elencos. Ou seja, ainda serão mais desfalcados. A própria seleção brasileira também sofre as consequências, já que o treinador vai ter sempre que chamar menos jogadores de determinado clube para evitar grandes desfalques.

Muito fácil simplesmente colocar a culpa nas datas dedicadas aos estaduais – serão 16 em 2020. Claro que isso deve ser repensado para ficar bom para clubes grandes e pequenos. Mas não dá para simplesmente cair na conversa da CBF de que não vai ter jogos em Datas Fifa. Assim como não dá para não cobrar dos clubes um posicionamento. A mudança passa diretamente por eles. Assim como os maiores prejuízos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: