Atlético x Bahia: Galo para no goleiro Douglas e cai no Horto

O fato do Atlético jogar com apenas dois titulares não tirou a animação da torcida, que lotou a Arena Independência para fazer sua parte e ajudar o time a retomar posição dentro do G-4. Neste sábado pela manhã, o Galo encarou o Bahia sem sua força máxima em campo, já pensando no duelo de terça-feira, contra o La Equidad (COL), pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Com a falta de entrosamento sendo uma barreira desde os primeiros minutos, o Atlético teve pela frente um adversário bem armado, que soube sair bem nos contra-ataques para ‘matar’ o jogo ainda no primeiro tempo. Com 1 a 0 no placar, o Bahia ‘cozinhou’ o duelo para ganhar tempo a cada oportunidade, minando a paciência dos jogadores e da torcida, que saíram decepcionados da Arena Independência. Foi a primeira derrota do Galo, em 2019, jogando no Horto.

A busca por retomar presença no G-4 foi adiada para um futuro próximo. A afobação atleticana ficou clara em muitos erros de passes. Foi logo em um dos primeiros ataques que o Tricolor abriu o placar, aproveitando espaço dado pela defesa atleticana. A vantagem foi aberta aos 19 minutos com o artilheiro Gilberto. O goleiro Cleiton conseguiu salvar no primeiro arremate, mas depois foi inevitável impedir o gol em finalização precisa do atacante, que se antecipou bem para jogar uma ‘ducha fria’ nas arquibancadas. A ansiedade no time alvinegro tornou-se ainda maior ao ver o adversário na frente do marcador.

Apesar das várias mudanças, o Atlético conseguiu ter mais volume de jogo para criar e pressionar o Bahia, que marcava bem e diminuía os espaços. O que faltava para os donos da casa era uma maior precisão nos últimos metros do campo. A boa presença do goleiro Douglas fez a diferença para o time da ‘boa terra’ segurar a vantagem mínima no primeiro tempo.

No intervalo, Maicon Bolt entrou no lugar do apagado Otero para dar mais velocidade pelos lados do campo. A tendência para o segundo tempo, de um Atlético pressionando e do Bahia valorizando cada minuto, se confirmou.

Logo nos primeiros minutos, arremates foram disparados contra a meta baiana, fazendo Douglas seguir sendo um dos protagonistas do duelo. As mudanças promovidas pelo técnico Rodrigo Santana deram um novo gás ao time, que seguiu tendo dificuldades para finalizar.

A maior posse de bola de pouco adiantou com decisões precipitadas, que deixaram escancaradas a pressa e ansiedade na busca pelo empate. A cada minuto passado na etapa final, a parte física era sentida, deixando a chance de pontuar mais distante. O ‘abafa’ nos minutos finais acabou não surtindo o efeito desejado.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 0 X 1 BAHIA

Atlético

Cleiton; Guga, Leonardo Silva, Igor Rabello e Lucas Hernández; Zé Welison; Geuvânio, Nathan, Luan (Terans) e Otero (Maicon Bolt); Alerrandro (Di Santo). Técnico: Rodrigo Santana

Bahia

Douglas, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, juninho e Giovanni; Gregore, Flávio, Ronaldo (Guerra) e Artur; Gilberto (Fernandão) e Lucca (Élber). Técnico: Roger Machado

Local: Arena Independência
Motivo: rodada 16 do Campeonato Brasileiro
Árbitro: Rodolpho Toski Marques
Gols: Gilberto (B)
Cartões amarelos: Artur, Flávio (B)
Cartões vermelhos: não houve
Público: 22.401
Renda: R$ 471.083

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: