Rossi descarta treinos em motocross e endurance e foca na MotoGP

Depois de sofrer algumas lesões na temporada, Valentino Rossi desistiu dos “métodos alternativos” de treino. Sem poder utilizar sua moto de corrida da MotoGP para praticar, o italiano costumava usar seu tempo livre para correr no motocross ou em provas de endurance. No entanto, ele preferiu abolir esta prática.

A decisão do piloto da Yamaha veio após duas graves contusões sofridas somente em 2017. No final de agosto, ele fraturou a perna, o que causou a necessidade de intervenção cirúrgica. Já em maio, Rossi sofreu um trauma torácico-abdominal.

“Não podemos treinar com as motos de MotoGP, então temos que fazê-lo com outras, de diferentes disciplinas. O Motocross já estava na minha lista negra porque todos nós ficamos feridos: eu, Morbidelli e outros”, destacou corredor de 37 anos.

“Esta viagem com meus amigos eu faço quatro ou cinco vezes por ano desde os 18 anos de idade. Mas certamente não faço mais durante a temporada. Você tem que encontrar o compromisso porque treinar e em uma moto é sempre perigoso”, completou, explicando o acidente que machucou sua perna e o deixou de fora do GP de San Marino.

Seguindo em fase de recuperação por conta da fratura, Rossi teria perdido o circuito de Aragón, se não tivesse resolvido acelerar as coisas. Terminou em quinto na corrida espanhola. Já o trauma sofrido no tórax quase tirou o italiano do GP de Mugello, em sua terra natal, mas o tratamento se deu de forma rápida, e ele e foi à pista para terminar em quinto.

Tendo que encontrar outras maneiras para praticar, o ídolo italiano já foca no GP do Japão, o primeiro dos quatro últimos da temporada. As atividades em Motegi começam com os treinos livres do dia 12 de outubro (quinta-feira), com o classificatório do dia 13 e são finalizados com a corrida no dia 14.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: