Dorival vê sorte mudar no São Paulo

O roteiro da sofrida vitória do São Paulo por 1 a 0 sobre o Sport, neste domingo, no Morumbi, foi o contrário do que vinha ocorrendo com a equipe, que em algumas das últimas partidas não venceu mesmo jogando melhor do que o adversário. A análise é do aliviado técnico Dorival Júnior, para quem o Tricolor está “a um palmo de uma vaga na Libertadores”.

“Não é fácil. Isso vinha acontecendo há algumas rodadas, vínhamos fazendo alguns resultados e de repente nos últimos cinco minutos abríamos mão daquilo que tínhamos construído. Trouxemos o Sport muito em cima. Ainda assim tivemos duas, três oportunidades no segundo tempo, mas erramos no último passe. Em alguns momentos isso vai acontecer, ainda bem que nos deu a possibilidade de sair de onde estávamos”, avaliou o treinador, em entrevista coletiva, após a partida.

Com o resultado, o São Paulo finalmente deixou a zona de rebaixamento ao subir para o 14º lugar, com 31 pontos, oito a menos que o Flamengo, primeiro time dentro do G7. A distância é bem menor, porém, em relação ao Avaí, que ocupa a 17ª posição, com 30 pontos.

“Sai um peso, sim. Mas sabemos que estamos muito próximos (da zona de descenso). É um palmo de distância que nos separa atrás e de uma vaga na Libertadores. Sofremos para alcançar o resultado, mas em outros momentos fomos superiores e não conseguimos. Acho que mudou alguma coisa”, afirmou Dorival.

Ele se refere, principalmente, aos empates com Ponte Preta (2 a 2) e Corinthians (1 a 1), diante de quem o São Paulo não soube aproveitar o domínio das ações. Dorival, contudo, garante que já esperava encontrar muitas dificuldades contra o Sport, que pressionou a sua equipe durante boa parte do segundo tempo e só não empatou nos acréscimos porque Sidão fez duas grandes defesas.

“Passamos ao longo da semana que o jogo teria outras características e seria muito mais complicado do que contra o Corinthians. Às vezes os jogadores não percebem esse tipo de situação. Não tem uma receita, a tendência era de que jogássemos melhor do que foi contra o Corinthians, mas de repente quisemos segurar o resultado, não sei. Foi aquele sentido de proteção do 1 a 0. Nunca se sabe. Erramos muitos passes na transição, e isso complicou muito”, analisou.

“Na semana anterior lamentamos o empate contra o Corinthians. Hoje não fizemos um jogo do mesmo nível, mas sustentamos um resultado que seria fundamental. O Sport estava leve no gramado e o São Paulo preocupado em se proteger. E aí as coisas se tornam mais difíceis. Temos de corrigir, buscando aperfeiçoar aquilo que foi visto e reconhecendo que foi na base da luta. A equipe precisava de um resultado como esse”, concluiu.

O São Paulo ganhou dois dias de folga e só retornará aos trabalho na próxima quarta-feira à tarde, no CCT da Barra Funda, onde dará início à preparação para o confronto com o Atlético-MG, em 11 de outubro, no Estádio Independência, em Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: